Manutenção do sindicato e a construção do clube dos comerciários está nas mãos dos trabalhadores

In Destaque, Notícias

A história de luta dos trabalhadores por melhores condições de trabalho e de salário tem nos sindicatos um papel fundamental. Muitas das vitórias alcançadas não teriam sido possíveis sem o protagonismo dos sindicatos.

Infelizmente com a chegada de Michel Temer (MDB-RJ) ao poder, a chamada Reforma Trabalhista patrocinada por empresários e que contou com apoio de muitos deputados e senadores que foram votados na região, representou um duro golpe aos trabalhadores, não só porque retiraram diretos, mas porque busca inviabilizar os sindicatos com a tentativa de extinguir a contribuição sindical.

Se os sindicatos são representantes dos trabalhadores nas negociações com os patrões, oferecem assistências jurídicas e convênios em escola infantis, faculdades, restaurantes, farmácias, açaí, lanchonetes, clinicas, lojas de esportes, pizzarias, salão de beleza, óticas,  gráficas, autoescola, academias, como é o nosso caso. A quem interessa o enfraquecimento dos sindicatos? Pergunta a presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Irecê e Região (SECIR), Rafael Sydartha.

Estabilidade da gestante, estabilidade de ferias,  normas regulamentadoras sobre segurança nos locais de trabalho, triênio, quebra de caixa, fornecimento de fardamento, férias, 13º salário, não são direitos resultantes da bondade de governos e patrões; são fruto de muita luta. Portanto, sem um sindicato forte o trabalhador fica sozinho para reivindicar direitos e sem força para negociar com o patrão.

Recursos – Para que o sindicato mantenha sua estrutura de funcionamento e continue oferecendo seus serviços uma das fontes de renda – além do pagamento da mensalidade do associado – é a chamada contribuição sindical.

Infelizmente a grande mídia sempre que trata do assunto fala como se fosse um dinheiro jogado fora, um peso para o trabalhador. Até comemorou o fim da obrigatoriedade. O que a mídia não mostra é que essa contribuição auxilia no custeio do sindicato, portanto, é uma remuneração que o trabalhador autoriza para financiar quem irá defendê-lo nas negociações, disse Dilma.

O sindicato tem despesas fixas para que sua estrutura funcione a exemplo das contas de água, luz, telefone, construção do clube dos comerciários do Secir, remuneração dos profissionais que prestam serviço. A contribuição sindical é utilizada para cobrir esses gastos.

Contamos atualmente com uma estrutura que já foi enxugada e mesmo assim temos nos esforçado para não comprometer nossas atividades, mas para que continuemos defendendo o trabalhador precisamos que ele chegue junto, fortaleça essa casa que é dele, onde ele se sente acolhido e defendido, explica  a presidente do Secir.

Sem as campanhas salariais não há reajuste do piso salarial acima do mínimo nacional nem manutenção de conquistas, tampouco ampliação de melhorias nas condições de trabalho

You may also read!

Maio Lilás: campanha do MPT busca resgatar direitos dos trabalhadores

O Ministério Público do Trabalho (MPT) lançou nesta segunda-feira (7), a campanha Maio Lilás, que tem como objetivo discutir

Read More...

Qual é o futuro do movimento sindical?, indaga Clemente Lúcio, do Dieese, em reunião da CTB

O diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Ganz Lúcio, foi o convidado desta

Read More...

Presidente do Secir, e escolhido como vice-presidente do ARESI

Aconteceu na sexta(20), no auditório do Secir, uma reunião, na qual foi discutido sobre a refundação da ARESI (Assessoria

Read More...

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Mobile Sliding Menu